FUSO

Vários Locais
22 a 27 Agosto

Anual de Vídeo Arte Internacional de Lisboa

Iniciado em 2009, o FUSO é o único festival de vídeo arte em Lisboa. Apresenta peças de vídeo confrontando linguagens já históricas às mais contemporâneas, que cruzam o vídeo, a performance e o cinema, selecionadas e apresentadas por curadores internacionais que desenham uma programação exclusiva para o FUSO.

São sete sessões de curadores convidados maioritariamente internacionais e duas sessões da responsabilidade do diretor artístico do FUSO, Jean-François Chougnet, resultantes de um Open Call, aberto a artistas portugueses ou residentes em Portugal.
Para além dos programas propostos pelos curadores convidados, anualmente o FUSO homenageia um ou mais artistas históricos de fundamental importância para a vídeo arte.

Em 2017, o FUSO dedica a sua 9.ª edição ao tema Ontem e Hoje, em consonância com o proposto Passado e Presente do programa Lisboa Capital Ibero-americana da Cultura. Se o confronto entre obras históricas e a contemporaneidade na vídeo arte está na génese do FUSO, o passado e o presente será o mote para um diálogo abrangente e referencial, cruzando a Europa e as Américas.

Assim as sessões apresentarão propostas de curadores de destaque das Américas do Sul e Central, bem como de Portugal e Espanha. Mantendo os eixos programáticos do FUSO, será homenageado o artista brasileiro Paulo Bruscky, pioneiro da arte concetual nos anos 60 e da arte postal, vídeo arte e arte sonora a partir dos anos 70 no Brasil.

Travessa da Ermida, Jardim do
Maat, Jardim do Museu Nacional
de Arte Contemporânea do
Chiado, Jardim do Museu Nacional
de Arte Antiga, Jardim do Museu
Nacional de Historia Natural
e da Ciencia, Claustro do Museu
da Marioneta