Fé, caridade e esperança

Av. D. Carlos I, 61, Santos, Espaço Municipal da Flamenga, Chelas, Largo do Calvário, Alcântara, Vários Locais
1 Junho a 2 Julho

de Ödön von Horváth Tónan Quito

Nesta “comédia” de 1932, o dramaturgo austríaco Ödön von Horváth mostra-nos uma sociedade cínica, mesquinha e egoísta, sempre pronta a desumanizar-se, num período de crise económica e decadência espiritual e moral. Para o autor este poderia ser o título de todas as suas peças, “pois todas assentam num tempo em que acreditar, amar e ter esperança são uma utopia necessária”. Nesta nova encenação, Tónan Quito convida três grupos de teatro amador para integrar o elenco da peça, dando corpo às muitas cenas em que o povo entre em palco como personagem central. Numa tentativa de fazer a ponte entre a crise dos anos 1930 e a crise atual, cada grupo irá reescrever algumas cenas, apropriando-se das situações da peça para falar sobre a nossa sociedade contemporânea.

 

1 a 3 junho
21h30
4 junho
18h30
Grupo de Interpretação
Criativa
Sociedade de Instrução
Guilherme Cossoul
(Av. D. Carlos I, 61, Santos)
15 a 17 junho
21h30
18 junho
18h30
Gesto – grupo de teatro
Auditório Fernando Pessa
(Espaço Municipal
da Flamenga, Chelas)
29 junho a 1 julho
21h30
2 julho
18h30
Grupo de Teatro – Pano Cru
A Promotora
(Largo do Calvário, Alcântara)

(exceto 5 a 14 e 19 a 28 junho)
Vários locais
6€ a 12€
Duração: 1h30
Classificação etária: a classificar pela CCE

autor: Ödön von Horváth; tradução: Ricardo Braun; direção: Tónan Quito; versão cénica e interpretação: Carla Galvão, Filipa Matta, Marco Mendonça, Miguel Loureiro, Tónan
Quito, Grupo de Interpretação Criativa, Gesto – Grupo de
Teatro e Grupo de Teatro – Pano Cru.
Apresentação no âmbito da rede Create to Connect com o
apoio do Programa Cultura da União Europeia