LISBOANARUA.COM  
  | | EN

Fado no Castelo – Fado es Volver – Fado & Flamenco

Castelo de S. Jorge
8 Junho, 22h

O Flamenco nasceu da herança das múltiplas culturas que passaram pela Andaluzia e deixaram as suas marcas: as suas origens remontam às culturas cigana e mourisca, com influência árabe e judaica.

Foi sendo transmitido de geração em geração, através da oralidade e das atuações em comunidade. Sem deixar de ser música e poesia de raiz popular, pode-se dizer que o flamenco é um folclore elevado à arte, tanto pelas suas singularidades interpretativas como pela complexidade da sua música.
É uma arte que comunica através do corpo: com as mãos, expressões faciais marcantes e um sapateado característico. O corpo reage ao som da guitarra ou à letra do cante, que expressa a dor, o abandono, a solidão, o desprezo, as alegrias, o amor, o desejo. A sua força reside na forma com que condensa música, cante e dança.Neste espetáculo, a fadista Ana Sofia Varela junta-se ao multifacetado músico Antonio Serrano, aclarando as coincidências e os pontos de fuga entre duas estranhas formas de vida: o fado e o flamenco.

 

Ana Sofia Varela Voz
Antonio Serrano Harmónica
Chiqui de Quintana Voz Convidada
Bernardo Couto Guitarra Portuguesa
Carlos Manuel Proença Viola
Daniel Pinto Baixo
Juantxin Osaba Guitarra Flamenca
Gonzalo Martinez Percussão
Academia de Salvador Martinez
Bailarinos

No limite da lotação e mediante levantamento de bilhete, no dia do espetáculo,
na bilheteira do Castelo de S. Jorge e no Museu do Fado, a partir das 20h
M/6

Nascido em Madrid em 1974, Antonio Serrano iniciou os seus estudos musicais aos sete anos. Ao completar a formação musical, começou a atrair a atenção como harmonicista. Ao ser desafiado pelo professor Larry Adler para o acompanhar num concerto da Organização das Nações Unidas em Paris, com Barbara Hendricks e Plácido Domingo, deu-se o arranque para o início da sua carreira como gaitista clássico.Serrano começou a sua relação com o jazz depois de descobrir gravações antigas de Louis Armstrong e do harmonicista e guitarrista belga Toots Thielemans. Ao longo do seu percurso, foi alternando entre colaborações com artistas de flamenco e de pop e a sua carreira a solo, que conta já com cinco álbuns em seu nome. Brinca com a harmónica e move-se com facilidade em campos musicais tão diferentes como o jazz, o flamenco, a pop ou a música clássica, uma
habilidade de que poucos músicos se podem vangloriar.

 

Ana Sofia Varela é uma das vozes que mais se destacam da chamada “nova geração” do fado. Nasceu em Lisboa, em 1977. Em 1998, foi convidada pelo mestre de guitarra portuguesa António Chainho para participar no álbum “A Guitarra e Outras Mulheres”. No mesmo ano, juntamente com João Monge e João Gil, integrou o projeto “Do Sol e da Lua, fado e flamenco”, inserido no programa da Expo’98. Em 2003, lançou o seu primeiro álbum de fado. Dois anos depois, foi distinguida com o Prémio Amália Rodrigues para a melhor voz feminina. Em 2009 lançou um novo trabalho com temas originais, com João Monge e João Gil, intitulado “Fados de Amor e Pecado”, que também venceu o prémio Amália para melhor disco em 2010. O seu tempo atualmente divide-se entre festivais, casas de Fado e viagens a cantar para esse mundo fora.